Benefícios do uso do Mantra


Como cantar mantras beneficia nossa saúde

 Grupo Transcend realizando um kirtan no Saraswati Studio (RJ)

Segundo o Swami Sivananda (1998), o benefício do mantra se encontra em aumentar os poderes da concentração, controlando as fluências da mente que dispersa para focos secundários e mais densos.

Com a prática dos mantras, a respiração começa a fluir regularmente, junto com a voz que adquire mais potência e suavidade de forma a controlar as emoções que começam a expressar-se através da própria voz, respiração e em toda e qualquer manifestação de ação que se tenha, pois na prática será capaz de ouvir a expressão das emoções como raiva, decepção, alegria, medo, amor, entre outros emanados de seu ser, como uma espécie de catarse consciente, onde, se assume o controle destas fluências mentais.

Diante disto sempre expressamos o que somos e por isso sempre que a respiração, a voz ou qualquer outra expressão estiver irregular, as emoções estarão envolvidas. Isso nos traz a consciência, para que possamos analisar e desapegar-se de tais sentimentos e emoções de polaridades que desarmonizam a essência harmônica da saúde.


A execução do mantra de forma continuada leva a percepção mais apurada, e transforma os sentimentos negativos por afirmações positivas.

À medida que o mantra entra no subconsciente, a mente se purifica dando espaço para aquilo que se esta entoando, afirmando as vibrações positivas e o equilíbrio.

“Mantra não é um remédio mágico. Os resultados imediatos das
entonações são um aumento na capacidade de se concentrar,
controle gradual da respiração e das emoções. 
Mais tarde, elas se convertem em sentimentos verdadeiros. 
Ao entoar, porem, a meta mais importante é a percepção 
(que se traduz por realização) do self”.
(SIVANANDA, 1998).

 Atitude ao cantar Mantras


Vibração, mantras e musicoterapia.

“Tudo está em fluxo” disse o filósofo grego Heráclito".

Tudo está em movimento; toda a matéria esta se movendo e mudando suas formas e manifestando a energia que há nela. (filosofia indiana).

Segundo Randall McClellan (1988) a vibração é qualquer mudança que ocorra em uma área, propaga-se em ondas por todo o mundo, seja a explosão de uma estrela, o desaparecimento de uma galáxia, um som emitido por um instrumento musical ou o pensamento humano.


A tensão produzida por essas duas forças cria um movimento pendular em todas as coisas. Esse movimento é conhecido como vibração, um estado de intranqüilidade permanente que procura seu próprio ponto de imobilidade no seu centro. Estas vibrações, no entanto vão muito mais além do que os sons audíveis.

Nosso corpo vibra, nossas células vibram, somos constituídos por
átomos, que por sua natureza estão sempre vibrando, dançado,
circulando, assim como a dança dos elétrons, a dança cósmica do
universo. Tudo flui tudo muda, tudo esta em constante movimento.
(MARADEVA, 1998).



Os mantras seguem segundo os princípios do nada yoga (a yoga do som), porém, há um som em particular, uma vibração específica, que provoca a melhor reação possível de seu corpo. E por isso que os mantras tradicionais possuem uma métrica e formas exatas para a prática, entendendo todo este processo de relação “som ser humano som”.


Este complexo “som ser humano som” relacionado com os mantras nos mostra o vínculo eterno de um ciclo infinito, aonde o som, em sua compreensão mais ampla como estímulo, isto inclui o silêncio, chega ao ser humano que reage a este estímulo, produzindo outro som.

Os mantras utilizam muito bem este recurso, pois entendem esta realidade e diversidade dos estímulos vibratórios buscando através da consciência uma organização e um direcionamento as mais altas freqüências, levando a mais consciência.

Nos mantras tudo é pensado, a respeito do som como instrumento de qualquer tipo de desenvolvimento que se queira atingir, se pensa nas propriedades e elementos deste som, nas formas dos instrumentos que são utilizados como Sitar, Tanpura, Harmônium, etc.


                             HARMONIUM
                                 TANPURA


 Estes instrumentos possuem e foram projetados para gerar um centro vibracional constante, e que ao serem tocados, abrange a maior quantidade de harmônicos, sendo emitidos constantemente, dando mais um reforço a estímulos vibracionais complexos, que associados as intenções direcionadas do praticante, tornasse uma energia muito poderosa, que proporciona mudanças vibracionais nos estados primordiais da pessoa, em todos os âmbitos, (físico, emocional, energético,espiritual).



Estes instrumentos ao produzir os diversos harmônicos, somados aos harmônicos na expressão da voz durante a entoação, mais os harmônicos da respiração concentrada e consciente, mais os harmônicos do foco mental, mais os harmônicos do corpo físico e do ambiente, (...) resultarão em grandes harmônicos que buscarão uma ressonância e sintonia entre todas estas manifestações harmônicas, proporcionando ao praticante ou a quem estiver envolvido na prática um estado vibratório diferente e mais intenso do que seu estado vibratório primordial.


Julga-se que certas vibrações e técnicas de respiração rítmica podem alterar os padrões das ondas cerebrais elétricas, induzindo o relaxamento ou aumentando a conscientização.


Então; exclamais; quem sou eu, pobre mortal, perdido no meio de
toda essa grandeza?
Vós sois a coisa mais preciosa, uma alma vivente; e se fosses
destruído, o sistema inteiro do universo pulverizar-se-ia, porque vós
sois tão necessários como a maior de suas partes; ele nada pode
fazer sem vós; vós não podeis ser anulado nem destruído, porque
sois uma parte do todo. (RAMACHARACA, 1993).


 texto: Diogo Luis Ferreira De Camargo
 tcc: PONTOS A SE CONSIDERAR SOBRE MUSICOTERAPIA E MANTRAS

vídeos e fotos: Sandro Shankara

Bibliografia:
RAMACHARACA. Jnana-yoga; Yoga da Sabedoria. São Paulo: Editora
Pensamento LTDA, 1993.

RAMATIS Grupo de estudos. Mantras. Espírito Santo, 2002.

RANDALL McClellan. O Poder Terapêutico da Música. São Paulo: Siciliano,
1988.

SWAMI SIVANANDA Radha. Mantras, Palavras de Poder. São Paulo:
Editora Madras LTDA, 1998.

Imagem e adaptação de texto do Mantra Om Purnamadath por 
Diogo Ralston

2 comentários:

  1. Belissímo artigo, Sandro!

    Os mantras realmente conseguem fazer nossa consciência transcender o plano material!

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. vc trocou o nome do instrumento.O harmonion é o instrumento com teclas o que está do lado que é um sitar.Atenção!

    ResponderExcluir